Como escolher cortinas para salas pequenas

Dicas para aprender a escolher cortinas para salas pequenas e conseguir uma decoração incrível! Muitas fotos para você se inspirar.

As cortinas são itens essenciais de decoração e que ajudam a emoldurar o espaço, além de proteger os móveis, tapetes e outros objetos da sala da ação do sol. Nos ambientes com televisão, as cortinas certas ainda são fundamentais para garantirem maior conforto e aconchego.

Por isso mesmo, é normal que muitas pessoas tenham dúvidas na hora de escolher as cortinas para salas pequenas – buscando deixar o ambiente mais espaçoso e conseguir um bom resultado na decoração.

Para acertar na escolha das cortinas para salas pequenas é fundamental que você considere vários itens como o tecido mais indicado, os modelos, o tamanho e também o restante da decoração da sua sala de estar – como as cores já utilizadas, a disposição dos móveis e as características de iluminação do espaço.

Já deu para perceber que escolher as cortinas pode não ser um passo assim tão simples, não é mesmo? Mas, não se preocupe, porque nós separamos dicas extremamente úteis e super completas para que você acerte e encontre o modelo correto para a sua casa!

Considere o espaço da sua sala

Antes de sair por aí comprando a sua cortina, é fundamental que você conheça exatamente o espaço onde ela será colocada.

Assim, meça bem a largura e a altura da janela que vai receber a cortina e também adicione uma folga para que o modelo escolhido fique mais “cheio” e não falte pano nas laterais.

Por exemplo, se a sua janela tem 3 metros de largura, você poderá deixar uma folga de 20 cm em cada lado. Se você estiver em dúvida sobre o tamanho certo dessa folga, meça a sua janela e peça para que a empresa de cortina adicione a medida necessária.

Além da medida da janela, também é fundamental que você considere a luminosidade do espaço. Nesse caso, reflita se a sua janela sofre com muita incidência solar – ou seja, se entra muita luz por ela.

Se essa situação acontece na sua casa, o ideal é pensar em alguma cortina que tenha um bloqueio solar, que pode ser uma camada a mais de tecido ou um forro grosso como o blecaute.

Hoje já é possível encontrar uma gama muito variada de tecidos blecautes, inclusive opções mais leves que tornam a decoração da sala pequena mais fluida.

O tecido das cortinas para salas pequenas

Além da claridade intensa, pode ser que a sua sala sofra com outras condições, como prédios próximos que diminuem a privacidade, por exemplo.

Por isso é bom analisar todas as condições antes de escolher o tecido para a sua cortina. Outros itens que influenciam nessa escolha são os móveis e as cores do ambiente. Assim, se a sua sala –mesmo pequena- é bastante colorida, opte por uma cortina neutra e vice-versa.

Para as salas pequenas o ideal é sempre buscar tecidos mais leves, que ajudam a ampliar o espaço – e não “pesam” no ambiente. Alguns exemplos são o voil, o linho, a seda e o algodão.

As cortinas estampadas também podem aparecer nas salas pequenas e tudo irá depender do restante da sua decoração. Se ela for bem neutra, você poderá apostar em uma cortina mais vibrante – só tome cuidado para não escolher estampas que possam ser cansativas com o passar dos anos.

As listras verticais mais finas são opções bastante interessantes para as salas pequenas e com o pé direito mais baixo, já que ajudam a ampliar verticalmente o ambiente.

Veja algumas características dos tecidos mais usados nas cortinas:

  • Tecido voil: é o mais utilizado, podendo aparecer em várias cores ou até mesmo estampado. Uma dica importante é sempre que optar por esse tecido, incluir também um forro ou uma outra camada. Isso porque o voil é transparente e pode não ajudar na hora de ter mais privacidade ou evitar os raios solares;
  • Tecido blecaute: é um tecido mais escuro e com uma textura mais grossa. Ele é feito de poliéster e bloqueia 100% a passagem da luz. Embora seja mais usado nos quartos, ele também pode aparecer nas salas de TV e naquelas que contam com excesso de luminosidade. Para deixar a cortina “mais leve”, mescle o blecaute com o voil;
  • Seda: proporciona mais requinte ao ambiente, além de ser o tecido mais nobre para as cortinas. Se você quer deixar a sua sala mais moderna, essa é uma ótima opção – além disso a seda é bem leve e ideal para as salas pequenas;
  • Shantung: esse é um tecido mais grosso e encorpado, mas que ainda assim apresenta a mesma leveza de um tecido voil. O shantung é uma espécie de seda feita à mão e costuma deixar as decorações bastante elegante;
  • Linho: proporciona mais conforto aos ambientes, além de poder ser combinado com vários outros tipos de tecidos. Ele é ótimo para as persianas, mas, assim como a seda, o linho pode desfiar com facilidade e exigir um cuidado redobrado;

O modelo das cortinas para salas pequenas

Tão importante quanto o tecido está o modelo certo das cortinas para salas pequenas. Na hora de definir, você precisará considerar o estilo decorativo do ambiente e também a sua intenção com o uso da cortina, sendo:

  • Para escurecer o ambiente: se a sua sala de estar é muito clara e recebe muita luz solar, pode ser difícil, por exemplo, assistir TV não é mesmo?  Nesse caso, os modelos mais indicados são as cortinas persianas de rolo ou romana que podem ser utilizadas como forro das cortinas normais. Além dela as blecautes também são indicadas.
  • Para deixar a sala mais moderna: as persianas como a rolô, a romana e o painel ajudam a deixar o ambiente mais moderno. Além disso, os modelos de persianas são muito indicadas para as salas pequenas, porque, em geral, ocupam menos espaço. Mas, fique atento para a regrinha acima da medida (de sempre deixar uma folga);
  • Para aumentar o pé direito: se além da sala pequena você sofre com o pé direito baixo, uma dica é usar modelos de cortinas que saiam diretamente do teto, assim você terá de forçar a vista para cima, o que dá uma sensação de que o pé direito é mais alto;
  • Quando há cadeiras ou móveis próximos da janela: invista em cortinas tipo romana (que abrem para cima) e evitam que o peso da cortina faça com que ela fique voando em cima dos móveis;

O tamanho ideal das cortinas para salas pequenas

Outro item que você deve considerar na hora de escolher as cortinas para salas pequenas é em relação ao tamanho delas.

O mais indicado é sempre que as cortinas não sejam curtas. Sendo que esse modelo apenas é recomendado quando você possui algum móvel ou bancada que dificulte o acesso a janela e, com isso, impeça que a cortina seja manuseada.

Dependendo do seu gosto pessoal, você poderá optar pela cortina que toca levemente o piso (“beijando o chão”, como costuma-se dizer) ou arrastando pelo piso – que dá um ar mais clássico a sua decoração.

Nesse último caso, contudo, o correto é que o tecido tenha de 2 a 5 cm a mais apenas, para evitar que o excesso fique muito proeminente. Apenas, lembre-se que cortinas com essa quantidade a mais de tecido podem sujar com mais facilidade.

Outras dicas importantes para escolher as cortinas para a sala pequena

  • Se você deseja economizar, opte pelo modelo preso por alças feitas com o próprio tecido da cortina ou de alça com cabeçote liso colocado em um varão. Os modelos mais caros são de cortinas franzidas, especialmente o modelo com pregas americanas;
  • Os modelos franzidos também aumentam o volume da cortina o que pode fazer com que o seu espaço pareça ainda menor, por isso tente escolher por modelos mais simples e lisos (com menos volume) que ajudam a ampliar o espaço;
  • Se a sua sala é bem pequena opte por uma cortina em um tom semelhante ou bem próximo a parede (e de preferência claro), assim você terá uma ilusão de ótica e fará com que a sua sala pareça mais ampla;
  • trilho embutido no gesso ajuda a filtrar a claridade que vem de fora, sem prejudicar a luminosidade interna, nesse caso você poderá optar pelos tecidos mais finos que ajudam a deixar a decoração mais leve – ideal para salas pequenas;
  • Se você optar por um tecido mais grosso na cortina (como a sarja) busque fazê-la de uma cor mais clara (como o branco) assim você não pesa o ambiente;

E, o mais importante, é sempre pense na sua cortina como um elemento integrado ao seu décor. Por isso, não tenha medo de pedir amostras de tecido e de testá-los na sua sala de estar para ver se a cor e a textura escolhida combinam com os demais móveis e itens decorativos.

Veja algumas inspirações:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *